sábado, 1 de julho de 2017

Levain - ou não me chamo Renata

Talvez em algum tempo eu venha a postar como "Ermengarda" ou "Lavínia".
Hoje misturei a farinha e o fermento para minha terceira tentativa de fazer meu fermento caseiro - ou levain, pra ficar mais chic.
Vi os videos do Pão Nosso no canal do Youtube na licença maternidade, em dezembro do ano passado, enquanto minha mãe me ajudava a passar as roupinhas da neném que estava prevista para 11 de dezembro mas só deu as caras no dia 27. Capricorniana, humpf.

Puerpério, volta ao trabalho, férias. Um ano depois e nada de fazer meu pão de fermentação natural.

Comecei em março de 2017, o bicho nem vingou.

Fiz de novo em maio, vingou mas na hora de refrescar, perdi a janela, sei lá, farinha vencida, matei o bichinho.

Hoje começo novamente.

Está na tigela, enroladinho no pano de prato, aninhado como um bebê bactéria.


Segundo o livro do Luiz Américo Camargo (sim, óbvio que eu comprei, não me conhecem?) agora eu devo esperar 48 horas, mexendo duas ou três vezes ao dia, e observando se surgem as bolhinhas e o cheiro forte e agridoce.

Enquanto a menina dorme, e o pai saiu para tocar bateria, eu resolvi "refrescar" este blog empoeirado.

Até segunda, beijo na bunda!

2 comentários:

  1. adorei q tu voltou a escrever! :) beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Renata, como está indo o fermento? Estou curioso pra saber. Vc saberia me dizer se, tendo o fermento, ele terá que ser usado diariamente? Obrigado e parabéns.

    ResponderExcluir