segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Bolha (ou por que eu escolhi a p... da pílula vermelha?!?!)

Segundas-feiras tem o dom de me deprimir.
Tanta coisa para fazer, tão pouco tempo, tão pouco ânimo.

Frustração em cima de frustração.

Não, não aconteceu nada de significativo, só que vindo para casa, na hora do almoço, vi um viralatas magrelo e desnutrido se esforçando para fazer suas necessidades, no meio da rua. Em tempo de ser atropelado. E meu coração cortou de dor.


Quando leio as notícias, quando leio os comentários, quando vejo que batalhas já travadas se repetem, com os mesmos resultados, como em um jogo de cartas marcadas, fico cansada.

Cansada de estar no lado perdedor.
Cansada de pensar.
Cansada de não fazer nada, cansada de chorar e ranger os dentes e não ver nada de novo sob o céu.

Queria andar distraída, colhendo sorrisos pelas esquinas, dando bom dia aos desconhecidos na rua, acariciando os cães viralatas e recolhendo as crianças abandonadas.

Queria andar abstraída.
Abstraída de um mundo que cada dia mais se fragmenta e desaba.

Queria ter escolhido a pílula azul, e ficar, placidamente, olhando as ruínas ao meu redor, não me preocupando com nada além do sexo dos carros e a dificuldade de achar empregada....

Queria ser uma classe média esterotipada, tão alienada como ninguém consegue ser (ou consegue?)

Rir de piadas preconceituosas e pior, piadas sem graça.
Rir da desgraça alheia, sem perceber que estamos todos juntos na mesma merda, boiando em um lamaçal fedorento de ganância, alheamento, egoísmo, individualismo... precoceitos e discriminações, ódio e intolerância. Pagamos o bem com o mal, e o mal, com ainda mais mal.

Tem dias, como esse, nos quais eu quero mesmo é que a humanidade acabe, e os animais voltem a dominar o planeta.
Que um ecoterrorista criasse um supervirus mortal para humanos, mas inócuo para plantas e animais, e todos nós, esse gigatesco erro da natureza, virassemos alimento para os cães e gatos abandonados e sujeitos à crueldade, nas ruas das grandes e pequenas cidades.

Imaginem, que lindo, todos os humanos, apodrecendo nas ruas, virando comida de urubu? (claro que esse vírus não poderia ser transmitido pela carne morta, né, meu ecoterrorista imaginário?)

E não pode sobrar ninguém, Nenhum ser humano, nenhuma criança, mulher ou homem.
Porque nós conseguimos ferrar com tudo. Sempre iremos ferrar com tudo.

5 comentários:

  1. Eu prefiro pensar que vc, eu e algumas pessoas, ainda vamos salvar o mundo.

    Mesmo que esse mundo seja nosso próprio quintal...

    Bjs!

    Adriana

    ResponderExcluir
  2. Estamos do mesmo lado perdedor. Mas, quando penso em jogar tudo pro alto, alguém lá em cima sussurra ao meu ouvido: "- Psiu, ainda não desisti de você!"

    ResponderExcluir
  3. Alguns de nós fuderam tudo, mas tem outros de nós fazendo bastante coisa legal. E preciso acreditar nos humanos.. os cachorros acreditam. E se eles acreditam, devemos ter algum valor.

    ResponderExcluir
  4. Não generalize. Só de pensar assim vc sabe q é diferente de tudo o q está repudiando tanto. Faça sua parte, como parece estar fazendo. Os bichos só são melhores q nós, segundo vc, pq eles não evoluíram , ainda. Lidar com os iguais e ver nossas falhas refletidas é difícil, mas ter consciência das falhas e querer mudar isso é divino.

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu blog,
    adoooreiiiii
    Abraços

    ResponderExcluir